quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Declaração X



Houve um tiro no escuro no dia que dissemos sim, podemos fazer parte deste mundo.
Não somos daqui que raio queríamos senão a loucura de procurar uma vida inteira num mero segundo?
A morte lenta riu se connosco, segregou nos veneno no dia que deixamos de ser corpos.
Acreditamos, voámos alto e já estávamos em queda livre antes do verdadeiro salto.
A sentença firmou-se.
A terra abriu se e o céu fechou-se.
Nós na mira do assassinato, consumado na sua própria mentira.

Isto não é para nós.
E não é, mas a a verdade é só consequência de um tempo que não nos chega.
De uma previsibilidade que nos renega.
E essa hora ainda demora.

Quisemos nascer para logo morrer e porquê?


Já sei mas não quero ouvir.
Não quero ouvir que era por isso mesmo.


Para te ter aqui.










                                                          Sarah Moustafa



Sem comentários:

Enviar um comentário