quinta-feira, 13 de novembro de 2014

A escuridão também brilha





Constatam com pesar que uma tal de escuridão me rodeia,
Abraço me na asa do corvo que me enamora
Nas noites tão cansadas do dia que acaba sempre 
No compasso da mesma hora...
Talvez tenham razão , talvez esteja cega, surda e muda
Presa nas trevas e a sua perfeita teia

Dizem que os olhos são tristes
 "Pudera que o espelho te mostrasse
O reflexo da vida por onde fugiste ! "
Não entendem a dimensão da viagem
De quem nasce velho e conversa
 em segredo com a alma
A tristeza é fruto do tempo 
Que não sabem que em mim existe!

O que há de tão triste em ser triste?
Em arrastar o peso de grilhões
E não tapar as cicatrizes ainda inflamadas nos corações?
O que há de tão errado em ser errada?
Damage goods e pesadelo de madrugada?
O que há de tão assustador em ser susto ?
Arrepio de vulto, personagem melindrada
Escritas nas paginas de culto ?

O que há de tão doloroso em ser parte da dor
E assumir a verdade da tua cor?
Porque é tão difícil aceitar a noite?
E Ama-la por ser apenas isso mesmo.

A noite.


Afinal... O que há de tão absurdo ?












Sarah Moustafa



Sem comentários:

Enviar um comentário