domingo, 13 de julho de 2014

Ir & Ficar




Tenho tanto medo da partida como da chegada, mas talvez , ainda mais,  do seu átrio intermédio entre dois globos de um mundo perpétuamente incompleto.
Onde o ir não se processa e o ficar são raízes construídas de puro ar.
Onde a migração voa raso, na alma enclausurada, no perímetro da sua inacção.
Onde uma asa se abre sempre á custa do encolhimento da outra.
Onde equilíbrio é piada de largo alcance e coerência palavra intraduzível em qualquer linguagem.
Quero ficar, amar, entregar, cuidar.
Quero partir, descobrir, florir o meu mundo das minhas estações.
Quero descansar, parar e esse mesmo mundo partilhar.
Quero o contrário de mim mesma.
Vestir-me de avesso como se veste da forma certa.
Ser impropria apropriadamente.
Ter lógica nas contradições.
Sair mais de mim e dizer-me sempre Sim.

Ainda que vá uma parte minha sempre ficará.
Ainda que fique uma parte minha nunca estará.

Como é que isto de SER se faz?










Sarah Moustafa


Sem comentários:

Enviar um comentário