sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

She's a darling




Come closer,
Tell me , over and  over again,
How I'm supposed to behave,
How can I be a an example of the most delicate flower ?
After all I'm Daddy's little princess
A lovely daughter...
Or the prettiest thing your eyes will catch
Shall I pass some lipstick,?
 They've taught me red has some power.
Is it appropriate like this?
 Let you take the lead, if I'm submissive and fit the standard
Maybe you'll pick me and give me an emerald ring ?
Oh... I've always wanted to be bought , it's so easy....
Yes , spend some billions,
Learn to afford me , my heart will sing !
I wont mind if you show me as your golden trophy
I'll hold back my provocative views and beliefs
And hush, hush just as the beautiful darling' you'll make me be
I won't say a thing that's not in the script
You'll mind fuck me to read
I'm a fast learner when I need to be,
So .. come closer
Truth or dare?
Will you kiss me ?
It's Friday night, you should take this doll in your arm
Won't you take me seriously?
Are you afraid how smart I can be ?
Don't worry honey, this is a man's world.
I can play the regular woman, let's have some fun !
I wont unleash the devil, 

First I will make sure to bite and carve your soul.

Behind the scenes, that's how girl's rock 

Making you , almighty image of an Emperor ,

Fall hard from the throne,

With the spell of this poisonous love,

And you fools end ,

Being the weakest figures of all history books.

( Legends )

And we the victims of your , oh so terrible, tyranny .


Light my fire?

Marry Me ?







Sarah Moustafa 

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Lilith






Deliro, curvas sinuosas, mais tropeções !
As nódoas negras são de luxo, silêncio e cetim
O sismo , aviso prévio do que estremece dentro de mim
Afinal qual a função de um vulcão, sem as suas erupções ?
A inocência sempre temeu o dia,
 que tamanhos desastres naturais se abatessem
Mas este mundo não é de inocentes !
Gravita sempre á volta do mesmo principio
O desejo primordial, contacto com a paixão primária
Revolta e Insurgência !
Instinto básico que nos faz perseguir ,
Obsessivamente o que queremos .
Ainda que tantas , demasiadas, vezes contrária ao que precisamos,
Paga-se caro!
Mas no submundo o ouro nunca acaba ...

Porque não pode o animal correr livre com o humano ?

E a Besta forçar o despertar da Bela ?

Dizem,

E se o capuchinho ficasse amiga do lobo?

Seria ele ainda a ameaça  e ela a vitima ?


Deixa-me escrever um pouco mais sobre este 8 pecado capital.

Sim, deliro, 

Apetece-me cometer um crime .


Eu não deixo rasto de sangue.


Já me viste cair?


Da próxima vez , tenta um golpe mais certeiro .


Ainda não sabes onde bater .

 Suponho que quando queres um trabalho feito tens de fazê-lo tu mesmo.


Sorte grande ,  azar o teu .


A Lilith quer sair.









Sarah Moustafa 

domingo, 22 de janeiro de 2017

Cada palavra , uma semente de vida.



Desculpa, Desculpa, Desculpa.
A verdade é o que é,
As melhores iguarias mastigam-se cruas.
Suponho que no fim é o que permanece de comum.
O gosto pelo o que sedutoramente se despe.
Já não tem nada haver comigo ou contigo.
Ultrapassou há muito, o nosso pequeno mundo pessoal .
Mas , no entanto, não consigo parar de escrever sobre ele ...
Esse pequeno mundo que na brevidade da sua existência se fez Universo.
Desculpa, Desculpa, Desculpa.
Cada palavra esconde a mesma quantidade de farpas como de poesia
aveludada , ao nome do que julgamos sempre ser amor.
Será? Seria? Alguma vez foi ?
Essa é a beleza de quem purga duvidas e sombras na magia das suas mãos,
É a certeza daquilo que o criador quiser que seja.

Desculpa, seria mais fácil com penalização, orgulho e ressentimento.

Mas repara, no fim são sempre flores , seiva imparável de vida , que nasce desse lodo.

A lama de não crescermos á imagem do nosso potencial.

Desculpa,



Não sentir culpa nenhuma.






Sarah Moustafa 



sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Aqui, fica a minha morada .



Não importa por onde me possa perder,
Por onde a noite me leve e demore a devolver
Por onde me elevem os raios solares,
e a felicidade seque aquilo que preciso de dizer,
Volto sempre a este chão
De uma casa que nunca chegou a se erguer.
Mas casa , sou eu.
As cores diferentes que vejo no mundo,
A alma , amiga fiel que nunca me abandonou ,
As palavras que se encontram entre a paixão e o rancor,
E criam juntas suspiros de uma história de grande amor ,
O universo que me coloca símbolos na mão,
E ordena, Usa-os !, distribui a verdade do coração, 
O âmago, o ventre, o mais escondido e absoluto
Recipiente gerador de toda a vida
De quem se recusa ser mãe,
Não importa , se não existem paredes,
Divisões, a cama acompanhada,
Ou abrigo, ou colo
Existe o que tenho,
O que nunca paro de descobrir ,
O próximo nível que de olhos fechados sei subir.
O preenchimento que nenhum espaço físico me poderia dar,

Dizem...



O tecto pode estar a cair aos bocados mas o céu está sempre lá.




Sarah Moustafa