sexta-feira, 29 de junho de 2012

Intimidade





Estar perto, fisicamente, de outrem não é difícil..árduo é conseguir estabelecer momentos de intimidade.
Chegar ao intimo de ti, desbravar as muralhas que constróis tão inevitavelmente, numa tentativa falhada de protecção.
Que tipo de protecção pensas obter afastando-te de momentos de prazer?
A frustração de te encontrares sozinho?
Questionas-te o porquê quando todas as respostas se espelham em ti mesmo.
Por mais paciente, que alguém possa ser, chega a um momento de verdadeiro impasse onde o cruzamento indica duas saídas possíveis:


A)- Prosseguir numa tortuosa viagem de ressentimentos;

B)- Destruir as muralhas e construir pontes no seu lugar;


Seja qual for a opção tomada  recorda-te que é sempre tua responsabilidade as consequências adjacentes á decisão tomada.



Só podemos ajudar quem quer essa mesma ajuda, não é ?





Sarah Moustafa



Raiva




Poderosa força quando emerges o mundo pára com o grito trovejante que libertas.
Quando a raiva rebenta cega ao ponto de não ser capaz de distinguir correctamente os alvos a que se direcciona.
A mente transforma-se num tornado e devasta tudo por onde passa.
Incontrolável, procura apenas, libertar toda a tensão acumulada que se tornou impossível suportar num corpo físico e que precisa, com urgência, de se extravasar.
Proferes as palavras mais amargas incumbidas de um ódio que gela e petrifica quem as ouve.
No culminar desta emoção, vês o quanto tens aguentado, o quanto tens deixado passar impune ao teu poder. Na hora do teu julgamento não existe amor, amizade ou família, não catalogas ninguém por hierarquia sentimental, pois o único sentimento que te interessa é a fúria.
Para ti as nuvens adensam-se cinzentas e carregadas de lampejos electrizantes lançam os seus trovoes por todo o lado.
Quando proclamas o ultimo brado, o mais forte de todos, cais de joelhos no chão.
As forças foram sugadas até ao limite.
Lentamente recuperas o fôlego mas ainda é demasiado cedo para te ergueres o corpo ainda não energizou.
Mantem a calma sabes que te regeneras, sempre o fizeste, e agora não vai ser diferente pois não?
Saboreia o alivio que a explosão te proporcionou.
O sol não tarda voltará.

Sarah Moustafa

As picadas






Coração não deixes de acreditar .. não escutes a mente..pois o lugar dela é na cabeça e é aí que deve de ficar.
Não mistures a razão com a emoção , é o trigo e o joio , tão distintos entre si.
Por mais que as probabilidades apontem para uma dolorosa decepção, não ligues, pois cada situação é uma situação diferente, ainda que o cepticismo te envie outra mensagem que não esta, tenta por favor ignorar. Não deixes de acreditar.
Não temas uma picada antes desta se concretizar, pensa no coração e na agulha que receias, como uma visita ao medico que te retira um pouco de sangue para que possa confirmar se está tudo bem, para se certificar que tudo funciona como devido.
Com um enorme receio dentro de ti estendes o braço, porque sabes que é necessário fazê-lo...que é indispensável...e fechas o olhos antes mesmo de sentires o cravejar da agulha na pele, verdade?
Intui dentro de ti e encontrarás as respostas, não temas as picadas, elas são sempre abonatórias de uma forma ou de outra ...


Sarah Moustafa

Touro- A miscelânea dos sentidos





A volúpia encontra-se fortemente conectada com estes seres fantásticos, impregnados de uma férrea determinação, nada se lhes apresenta como obstáculo, sempre como um desafio a ser solucionado nas ampulhetas do tempo e da paciência.
Como admiro a força de vontade de que são possuidores, nunca desistem, desistir é palavra ausente do seu dicionário mental e insurgem-se com alguém que ao menor revés abandone o inicialmente pretendido.
Na triplicidade do elemento terra é nele que está mais enfatizado a necessidade de se fixar e enraizar numa rotina , de que são engenheiros, e defensores rigorosos.
O paladar, o odor, o tacto... são fonte de deleite pois não há outro tão conectado, com a natureza do que o rodeia, como este ser nascido no expoente primaveril.
O conforto é o seu melhor amigo, e para o obter, trabalham duro na vida.
Sentir frio ou fome ou ver-se forçado a mudar algo que não quer são mote para as mais colericas demonstrações de frustração, pois esses factores afectam-no severamente no próprio cerne da identidade!
A posse por uma pessoa ou por um objecto, vai muito mais alem da semântica da palavra, pois é na posse, em saber que comprou aquele objecto depois de meses a contempla-lo , onde teve que trabalhar duro para o adquirir, que a verdadeira satisfação o invade.
Trabalhar para construir o lar que desde muito cedo desejou.
Quando sofre, sofre para dentro, e consome-se , por vezes, durante anos sem nunca ninguém desconfiar das intempéries que o fustigam frequentemente, pois, gosta de ser visto como um rochedo inabalável onde os menos tenazes procuram se reconfortar, acabando por ser um consolar mutuo, ainda que apenas eles o saibam.

Sarah Moustafa



quinta-feira, 28 de junho de 2012

Libra - O Vacilo do Equilíbrio






Belos, ternos e equilibrados, por assim dizer, são três adjectivos facilmente colocados para descrever estes Venusianos , amantes da paz e cooperação que se incomodam veemente com uma palavra rude ou uma atitude um pouco mais despropositada.
Matizados de harmonia e bom gosto, tudo é, aparentemente, controlado, mediado conforme o que consideram ser, social e ideologicamente, correcto.
Esta atitude cortês, é facilmente rotulada de frívola ou superficial, quando tudo o que esperam , no fundo, é de sentirem que fazem parte de algo, ou melhor, de alguém.
Esta necessidade combinada com a hesitação , em maior ou menor grau dependendo de outros factores do mapa natal, são fonte dos maiores dissabores com que se deparam ao longo da vida.
Possuem uma mente ágil e com uma capacidade, como nenhum outro signo, de se distanciarem de si mesmos e dos outros, avaliando as situações de uma forma neutra e justa.
Independentemente de ser a amiga, o namorado, os pais ou meros desconhecidos! Fazem isto com qualquer ser humano, pois o correcto é de facto o que mais lhes importa.
Mas nestas cruzadas de ver todos os lados de uma situação ganham a terrível hesitação, como inimiga feroz.
É lhes muito difícil tomar partidos, pois tal implicaria provocar "desagrado" á parte contrária e nestes malabarismos de indecisões acabam por se ver enterrados nas mentiras piedosas , tendo sempre em vista não ferir os sentimentos de ninguém, acabando por gerar as quezílias que primariamente desejaram evitar.
Há uma necessidade de agradar com quem se relacionam enorme, e quando sentem que esse agrado é conseguido, as suas forças revigoram.
 As parcerias harmoniosas vão de encontro ao seu " Santo Graal" daí quando os conflitos pairam ficar tão terrivelmente desequilibrada.
Quando tocada no eixo uma balança oscila, verdade?
Com estas dóceis criaturas passa-se exactamente o mesmo.


Sarah Moustafa

Neptuno - O véu





Que encantamento é esse, que te reveste e que me força a mergulhar fundo no oceano de que és dono e senhor?
Doce ilusão crias, ao me querer fazer acreditar nas máximas românticas, idílicas que me contas, que me segredas, nos momentos de maior fragilidade do meu ser.
E como é bom acreditar, como é bom transpor a realidade com os teus olhos....
O véu que te cobre é objecto de imenso fascínio, possui as cores mais belas e o tecido mais delicado...verdadeiramente hipnotizante essa visualização.
Mas quando esse véu cai, a loucura assola quem em ti acreditou, quem te idealizou e viu algo, que de facto não passava de uma miragem criativa, inerente aos teus poderes de imaginação fecunda.
Irrealista ou Sonhador? Como te apelidar?
Dissolves os fragmentos chatos da realidade concreta num campo de rosas, evades-te deste plano e não sei , nunca ao certo, por onde pairas... Pareces sempre tão sereno...tão fantasticamente longe...
Amas tão universalmente e transcendes-te através desse mesmo amor, tantas vezes focalizado num ideal difuso, poético, caracteristicamente teu...
Inspiras tanto quanto iludes...
Serás mártir? Serás Salvador?
Serás aquilo que quisermos tirar das profundezas do teu mar.


Sarah Moustafa





Nos meus sapatos





Nestes meus sapatos eu caminho na jornada que ousei tomar como percurso de vida próprio e pessoal.
Todos temos os nossos próprios "sapatos" verdade?
Então não tentemos formar uma opinião sem saber de que material são feitos.
Sem saber por onde já andaram , o que já viram e sentiram .. cada pé é um pé único e tal como a Cinderela , nos revelou, existe cada par para cada ser em especial.
É inútil tentar colocar o pé no sapato que não cabe, então por favor não o façamos e compreendamos que cada percurso é um percurso exclusivo sem espaço para a participação de outrem.
Não julguemos o que não compreendemos.
Por favor, deixemo-nos de superficialidades, de percas de tempo, tempo que não volta atrás quando gasto em lixo, e façamos um esforço para nos respeitarmos nas nossas diferenças.
Olhemos , com olhos de ver, para o que trazemos calçado e preocupai única exclusivamente com isso.
Pois mais ninguém o fará..senão você mesmo.


Sarah Moustafa

A Dor



Dor porque me invades? Porque em todo o teu pesar sentes a necessidade de me fustigar desta forma?
Porque me permites saborear o doce sabor da felicidade para logo depois, na tua cruel intromissão, me retirares o viço dos meus olhos....aprecias vê-los baços?
 Perdidos num limbo de compulsão onde o sofrimento reveste cada partícula do meu ser...
As defesas tentam até ao ultimo suspiro defender me da tua invasão mas sem sucesso padecem esmorecidas nos meus braços débeis e choro compulsivamente pela incapacidade de resistir ao teu poder.
Asfixias todo o oxigénio que no meu corpo habita e satisfaz-te fazê-lo, imagino te em forma humana e imagino tão claramente os olhos a cintilarem com o meu desalento...
Nos poucos segundos que restam questiono-me se verdadeiramente fiz tudo para impedir a situação presente... e dolorosamente concluo que não.
Não o fiz, deixei -me assomar pela melodia que a dor , confortável, cantou durante tantas anos...preparando-me, tal presa da sua caça, para este fatídico momento.
Porque não te combati?
Que esperava eu, aguardando, um cavaleiro salvador quando o verdadeiro guerreiro está em mim!
Que desperdício de tempo...que triste é cessar a minha vida desta forma... ah se pudesse retomar aos tempos idos como mudaria tudo...como me esforçaria para alterar as condicionantes que eu propria impus na minha vida... Que lamento... Ser tão tarde...

Na aurora da manhã acordei ofegante....Não passou de um pesadelo imenso ou de um prenuncio daquilo que irá acontecer se não mudar a minha estratégia?
Afinal nunca é tarde...até deixar de ser.

Sarah Moustafa

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Gestação





Outrora, dentro desse acolhimento, protegida me senti.
Através do ventre, essa residência tão intrinsecamente pessoal, ascendi neste plano de realidade e que dificultada ascensão se revelou.
Existiu durante muito tempo uma dolorosa vontade de retornar ao idílico refugio, pois somente aí, me sentiria nutrida e evitaria sentir o amargo vazio, que este mundo real, me trazia.
Um vazio de proporções gigantes, ao ponto de perder o meu próprio sentido de identidade.
Como se a maturação não estivesse completa no dia que sai cá para fora.
Talvez por esse mesmo fenómeno, o poder inerente á mulher de poder gerar uma vida dentro de si, num vinculo tão estreito e profundo, me fascine e amedronte tão intensamente!
É aquele milagre, que tantas vezes nos passa ao lado nas buscas incessantes por um, e ele está mesmo ali á nossa frente.
A necessária aprendizagem , que mais tarde e forçosamente, obtive em apreender que cada estágio de vida é único e belo mas que o propósito é evoluir e seguir para a próxima etapa, esse vazio amenizou.
É um trabalho exigente, duro e nem sempre bem sucedido mas necessário para poder almejar alguma paz interior.
A gestação de uma criança Virginiana, é por norma, ensombrada por medos, paranóia e inseguranças que se reflectem no permeável embrião.
E quanto mais fui descobrindo mais fácil ficou de entender todo o processo inerente que acima referi.

Confesso ainda hoje olhar para uma mulher grávida e não conseguir evitar a nostalgia que me invade e me comove.


Sarah M






Química



"He felt now that he was not simply close to her, but that he did not know where he ended and she began."

- Leo Tolstoy


O que seria de nós sem ela? Essa solução misteriosa que emerge nos momentos que nos aproximamos, e não só, como um elo de ligação profundo onde não conseguimos distinguir onde começamos e onde terminamos...
Deliciosamente nos perdemos na infinidade de detalhes a descobrir..que exploramos curiosos...insatisfeitos, em nos resignarmos ao visível a olho nu.
Ela exige mais, caprichosa, move-nos a ficar cativos no vortex que um só beijo pode criar.
Um beijo banhado de química é um beijo que rodopia em espiral, que entra em nós sem pedir permissão, inconveniente, que nos deixa desconfortáveis com o próprio a vontade que demonstra.
Não há resistência possível nesta mestria que dois elos conseguem gerar.
A química e os seus componentes serão eternamente desconhecidos ao ser humano e , felizmente, que assim é..natural, imprevisível.... Único...



Sarah Moustafa 

Let it Rain





" Without the darkness we wouldn't see the stars"

Não receeis a chuva.. não temas molhar-te.. ainda que temporariamente o frio te assole ,cada centímetro do  corpo, que te pareça impossível de suportar, lembra-te que sem a chuva o arco-íris não rasgaria os céus na sua imensidão de beleza, de cor suscitando o imaginário de fantasia...
É tão belo quando ele nos visita, não é?
Continua a ter fé, acredita que o teu arco-íris deambula algures por aí, ansioso e expectante, que a chuva passe para te poder enlaçar na sua grandiosidade.
Toda a conspurcação tem que sair, para honrosamente o receberes, toma um banho imenso para que te lave de tudo o que já não serve. O infrutífero. 
O que te impede de ser feliz na plenitude.
Não temas a exposição, só tu a vês.


Sarah Moustafa 


terça-feira, 26 de junho de 2012

A Princesa e o Sapo






Quem não conhece a história da Princesa e do Sapo?
Alvo de adaptações literárias e cinematográficas, esta belíssima fábula, vai de encontro a muitas questões preponderantes, que penso, desde sempre existirem.
Repelimos constantemente aqueles que mais nos amam, mas Porquê? 
Saberão responder?
Eles estão ali a nossa frente, dispostos a entregar as duas metades dos seus corações nas nossas mãos, e o que fazemos?
Impiedosamente agarramos, no que há de mais vital, e colocamos a um canto.
Reparem nesta crueldade, não seria mais digno simplesmente deitar fora?
Por pior que fosse, não seria tão egoísta como o acto de guardar o sofrimento alheio, sempre em nosso poder, para quando necessitarmos, e apenas aí, o irmos buscar.
Então e o Sapo? Porque não pensamos nele e na sua Dor? Quando tudo o que quis nos dar foi a maior preciosidade alguma vez encontrada neste planeta... Não são as preciosidades com  que as princesas rejubilam?
Quem é quem?
Quem é realmente a Princesa e quem é realmente o Sapo?
Cada vez mais os papeis Invertem-se...
Continuo sem a resposta... Porquê?

Sarah Moustafa 

Pecados




Como a Eva , encarnada nesta realidade, ficaria feliz de ler um texto como este, onde constataria que o chamado "pecado", de que foi Mestre e Iniciadora, é mote para tanta justificação do comportamento humano.
O que é pecar?
No fundo é mais um sinonimo para a palavra errar, fraquejar e tudo mais..
No entanto há algo nesta historia de pecados e pecar que sibila ,tal cobra sedutora, em mim.
A tentação de provar o néctar da maçã encantada  surge das mais díspares formas por meio de pessoas e objectivos materiais , diariamente somos tentados .... são milhares de "cobras", como a que surgiu á suposta  primeira mulher a habitar neste mundo, a rodear-nos, a hipnotizar e enfeitiçar levando massas de gente á loucura.
 Quando o objecto do desejo entra na mente não larga mais.
 Fixa-se,teimosa, até conseguir comandar as faculdades motoras e impelir a fazer-nos o que quer.
É pior que um vírus, pior que uma bactéria pois instala-se tão subtilmente, sem sinais físicos de padecimento que muitas vezes encontramo-nos "doentes"  por anos e desconhecemos a nossa própria condição.
Só se revela quando quer e bem lhe apetece, egoísta e prepotente, indiferente aos danos que causa.
Cabe a nós, meros peões dos seus jogos de poder e sedução, de abrir bem os olhos ao que aceitamos que entre no nosso corpo. 
A tentação só se instala mediante previa autorização...nós a concedemos sem nos apercebermos.
Até nisso a víbora é rainha e mestre.

Sarah Moustafa 

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Mercúrio - A mente que não sossega



Mercúrio, regente de vida, não és fácil de aquietar...estás sempre tão sintonizado em tudo e em todos , que acabas por não permitir fixar-te num assunto em toda a sua profundidade, borboleteias feliz, tal criança indiscreta, nos recônditos da mente humana.
A capacidade de armazenamento de informação é infindável tal como consegues ,como nenhum outro, raciocinar e estabelecer redes de conexão  a uma velocidade e precisão impressionante.
És intelecto puro, na maior afirmação da palavra que pode haver.
Há algo de deliciosamente infantil na tua natureza, que me encanta. 
Que me move mas que também me perturba.
Não me permites saborear um momento de paz mental e sempre que tento entras em alvoroço.
Exiges muito , para o bem e para o mal, a quem baptizas com as tuas energias.
Grata, te estou pelas qualidades mentais que me atribuíste.
Não tenhas medo de sossegar um pouco, só nos fará bem, e nos permitirá mergulhar fundo num trabalho enriquecedor onde possamos deixar a nossa mensagem no mundo.
E o que é mais importante para ti senão essa mesma mensagem?


Sarah Moustafa 


Little Owl





Once upon a time, there was this little bird that came into my life and changed it forever...

Era tão pequena que nas palmas da minha mão repousava confortada esta pequena e dócil criatura.

Aqueles olhos imensos, arregalados com tudo o que se passa ao seu redor, recolhendo informação, recolhendo sabedoria, era uma visualização sublime.

Durante os meses que me acompanhou, foi mais que uma amiga, foi COMPANHEIRA de vida...

e para sempre assim ficará designada.

Sabia que não tardaria a chegar o dia da despedida, que ousadia seria pensar o contrário, por mais doçura que a revestisse, não poderia ir contra o seu instinto natural, selvagem...

Sabia que Ela pertencia ao Mundo.

Os olhos são tão grandes, porque são olhos famintos. Necessitam de adquirir conhecimento, quase tanto como que respirar.


Com a maior das dores no peito, deixei-a ir..soltei a minha pequena mocha...

Sorrio e penso como estará? Será que pensa em mim tanto como penso nela?
Será que marquei diferença na sua vida ao ponto de sentir SAUDADE?
 Porque com todas as certezas que ela marcou diferença na minha...

Voa.Voa bem alto...sabes que quando precisares de um ramo onde pousar...o meu estará sempre aqui imutável, aguardando o teu regresso.


Once upon a time, there was this little bird that came into my life... gratefully ..it changed it Forever...



Sarah Moustafa  



Onde eu começo e tu acabas



Complexas são as questões dos relacionamentos, e falo de relacionamentos, a todos os níveis pois o que difere são as esferas da vida onde nos focalizamos, no fundo, acaba tudo no mesmo.
O eu e o tu, são compostos por processos únicos de individualização e quando se encontram , inevitavelmente, chocam.
Se depois o impacto se revela conflituoso ou harmónico, são outras contendas a serem analisadas, a questão que considero ser a mais pertinente é:
 Será que sabemos distinguir , quando envoltos nas esferas de uma relação, onde começamos e onde terminamos? 
Quando sou EU que estou a falar ou a minha projecção em TI?
Um exemplo prático poderá ser dado:
- Eu não gosto que me respondas de forma agressiva, qual é a necessidade de o fazeres? - diria o Eu numa disputa onde o TU se exaltasse.
- Estás a falar de mim? E tu que fazes o mesmo diariamente? Irritas-te porquê?- responderia o TU consciente que o EU o acusava injustamente.
E aí nesse momento o EU parava para pensar na questão colocada e deparava-se com um grande dilema, qual a resposta a ser dada aquela questão? Se de facto passo a vida a responder-te mal, porque da primeira vez que tu o fazes a mim , eu reajo tão explosivamente? 
Será porque o EU viu no TU um espelho de si mesmo e não gostou do que o reflexo lhe mostrou?
A complexidade destas questões é enorme mas sobretudo é dificultada, e cada vez mais, pela ausência e incapacidade de nos distanciarmos de nós mesmos.
De analisarmos o que nos rodeia conscientes.
Obviamente que não basta apenas termos consciência, é necessário trabalha-la e concretiza-la em algo produtivo para que de facto melhore a nossa capacidade de nos relacionarmos com a amiga,com a mãe, o namorado, o patrão e...a sociedade em geral, não interessa quem!
Interessa é chegarmos lá, ao cerne da questão, mais uma vez conscientizar é sempre o primeiro passo para mudarmos algo.
Estamos á espera de quê?

Sarah Moustafa

Venus Libra



Como cresceste..como te tornaste bela...uma tentação desmesurada...
Envergas as melhores vestes, ajudam te na afirmação do conceito de belo, que tanto te importa, da harmonização do arquétipo feminino.
Adornas-te, como se de um ritual se tratasse, e isso é alvo da maior auto-satisfação.
Talvez um pouco leviana , é natural com a energia que recebes, mas nunca te permitas a apreciação de futilidade pois quem assim se ousar  a referir, não será digno da tua presença e no fundo não te conhece.
Pois a vaidade inerente é a superfície de uma mente poética, em que as palavras só fazem sentido quando são belas, plenas de amor e altruísmo.
Um intelecto imparável, justo, sempre em busca da cordialidade e da paz cooperante.
Uma ingenuidade tocante, que seduz desta forma sem se aperceber.
Aprimorada, cuida em reforçar estes aspectos, larga um pouco a insegurança de nunca ser boa o suficiente, e mostra ao mundo inteiro de que material és feita!
Mostra esse psicológico aliciante, justo, correcto, neutro, sagaz sem nunca descurar o sorriso luminoso, o batom e cabelo perfeito.
Cintila no teu máximo Venusiana nata!

Sarah Moustafa 


Deixa me entrar





Deixa-me entrar.. 
Quero ajudar-te nesta viagem magnifica, que radiosa se pronuncia, sempre que fraquejares , que duvidares, que pensares que não és capaz de suportar mais... eu estarei lá para te relembrar o porquê de acreditar em ti, e na capacidade de concretização do teu grande propósito.
Mas para que te possa apoiar dessa forma tens que me permitir a entrada e não temeres mostrar a magnitude do teu ser.
A vulnerabilidade, que tanto te esforças por ocultar, é metade do teu encanto!
Por isso pára de o fazer.. pára de te limitar e de te auto-infligir!
É doloroso para quem te ama, sim porque amam por mais que a névoa não te permita ver , e pior é doloroso em dimensões catastróficas para ti mesma!
Baixa a guarda... respira fundo, não temas quem apenas se delicia ,sinceramente, em sentir se  assomado com o teu brilho.
Então... Posso entrar?


Sarah Moustafa


sábado, 23 de junho de 2012

Lua quadratura Saturno = BIG HOLE





O que te falta? 
Porquê essa insatisfação crónica de nunca estar nada bem?
Porquê esse vazio sem fim?
Ultrapassa o perfeccionismo é ainda mais excessivo...pois corrompe-te, faz-te mal...não alimentes mais essa Ira, pois o buraco tornar-se-á mais fundo se assim o fizeres.
Falta te uma conexão contigo mesma, falta-te o alimento que não obtiveste em tenra idade, é como se não tivesses sido nutrida.
Faltou te o leite materno, a ligação mãe-filha, a simbiose do maior milagre da vida...
Foi duro, eu sei, a ausência de afecto nos primeiros anos de vida gera marcas profundas, mas agora que cresceste, agora que te formaste e intelectualizaste, consegues superar esse mesmo desafio?
Esta é a mais protuberante das questões.
Superar não passa por tentar preencher esse vazio com outras pessoas, não o faças só te irás tornar mais amarga e mais descrente , pois essas pessoas não ficarão na tua vida e o carinho que te tentarem dar será sempre cruelmente rejeitado, pela tua impossibilidade de distinguires a projecção que crias e os padrões que repetes constantemente , da necessidade de primeiro que tudo despires toda a raiva e rancor , que este desafio te trouxe muito cedo, e que te consome. Não receies a nudez das emoções, não as mascares, não as culpabilizes da tua incapacidade, momentânea,  de diferenciar o que o teu Ego te exige daquilo que o teu coração te implora.
Ele implora Amor, amor na sua forma mais primária, mais singela, o Amor-Próprio.
Ama-te. Mima-te. Trata-te bem.
Regenera essa bomba pulsante, o teu coração, apanha todos os estilhaços e deita-os fora!
Liberta-te de todo o lixo e cria algo novo. 
Cria as tuas próprias raízes.

Sarah Moustafa 


sexta-feira, 22 de junho de 2012

Como uma Bolha






O meu coração é frágil... frágil como uma bolha de sabão, pois basta uma pontinha de quase nada para o destroçar..
É sensível demais, como eu gostaria que tivesse uma estrutura mais sólida, que fosse imperturbável ao exterior, ao que não interessa... de certo, não recorria tantas vezes ao recobro, se assim o fosse..
Mas na impossibilidade de o ser, deixando de me lamentar, também vejo como é belo..como é matizado de tons diferentes, que me singularizam.
É fantástico o poder curativo do reconhecimento das nossas potencialidades, mesmo quando só nos assemelham a desafios, elas estão lá... aguardando fiéis, o seu lugar ao Sol.


Sarah Moustafa 


Coragem





Coragem! Força! Tu consegues! Não te importes! Liberta-te!


Dita-me a consciência, mas como é duro atender ao seu pedido...

 É difícil simplesmente até deixar de ser...
A verdade é mesma essa. 
Basta um segundo para tudo mudar, mas para te mudares a ti,  demoras anos, centenas de horas perdidas , em que poderias ter tido todo o usufruto das tuas capacidades e as desperdiçaste, as jogaste num canto, de forma vil.
 Desprezaste-as e quando as quiseste resgatar, pensavas que retornariam de forma fácil?
Magoaste-as, ficaram agarradas a vida por um fio, enquanto te embrenhavas nas futilidades que abraçaste como forma de viver.
Agora que assumiste que fazem parte de ti, que planeias dar-lhes a máxima desenvoltura, tens que ser paciente e respeitar o ritmo da recuperação, que tu mesma impuseste.
Não é maravilhoso, como mesmo assim, fraca e volúvel, ela continua a dar o melhor de si?
Altruísmo puro...
Por isso, agora que não há volta a dar, Coragem!
Embrenha te em ti mesma. Funde-te.
Coragem.

Sarah Moustafa


Traumas





Malditos. 
Em toda a sua magnitude tentam impedir-me de chegar ao propósito, aquele propósito que me trouxe a esta realidade.
Tento arduamente combate-los mas tarefa fácil não se apresenta.
Diariamente me assombram, tentando-me, convidando-me a entrar mais fundo no vosso núcleo de destruição, de corrupção...
As vezes, cedo.
A melodia seduz a fragilidade do meu ser, entrego-me inconsequente aos vossos malefícios, numa tentativa desesperada de amenizar o sofrimento que me inunda, de quando em vez..
Quase que me deixo submergir...afogar na onda revoltosa que me capturou...
É então que o coração aflito começa a bater, desesperado por salvação...e a luz emerge...emerge sob as formas mais inusitadas, presente no sorriso dos seres que amas, as cores,formas, sabores que te preenchem a vida de momentos prazenteiros, aquilo pelo qual vale a pena acordar todas as manhãs...
As forças ascendem, não sei bem de onde, mas libertam-me das tuas amarras e pelo menos mais uma vez, eu continuo a respirar.
Eu continuo a tentar...


Sarah Moustafa  


quinta-feira, 21 de junho de 2012

Tapete Magico








Um Mundo Ideal...

Como seria bom se pudéssemos ter o nosso próprio tapete mágico, aquele encantado, que parte sem destino, sem medo, sem culpa, para um lugar qualquer onde a única coisa que é exigida é a vontade de Explorar!

Descobrir cada canto do mundo, cada historia, cada lugar com uma curiosidade quase infantil de saber mais, de precisar de saber mais!
É uma sede, uma urgência de conhecimento sem antecedentes.
Uma viagem única  singela, que as vezes só com o semi cerrar dos olhos, eu faço e me deslumbro!
Mas neste tapete não há espaço para bagagem alguma, só poderás levar-te a ti mesmo que é só do que necessitarás nesta aventura ao fantástico!
Ousas fazê-lo?

Sarah Moustafa 

As melhores amigas




As minhas melhores amigas são ... como dizer... Diferentes? 
Talvez seja essa a melhor denominação.
Diferentes no sentido de incomum que é encontrar alguém que as apelide desta forma.
As minhas melhores amigas são as duvidas.
Essas chatas que atormentam esporadicamente, a mim não me largam.
Porquê melhores amigas, devem de se questionar... Ora porque sem elas não sei viver.
Inteiramente me completam e me dividem, me aproximam e me afastam...
Ah.. como já me zanguei tantas vezes, naqueles momentos em que o mais fácil é de lhes atribuir a culpa, do que olhar para mim mesma.
Já gritamos e nos desafiamos cruelmente mas depois, como sem elas não sei ser quem sou , quando nos reconciliamos é como se o Sol sorrisse para mim dia e noite.
Sinto me plena quando estou em paz com elas. Quando nos abraçamos mutuamente.
Elas são de paladar agridoce, mas nunca me abandonam.
E por isso, são as melhores amigas do mundo!


Sarah Moustafa 



Sweet Child of Mine






Conservo em mim , para o bem e para o mal, esta eterna criança ferida.
Ferida quase que de propósito  como um grande plano, para que hoje pudesse aqui estar a escrever sobre o tema... Que seria de mim  sem esta magoa? Se é através dela que mais profundamente me expresso?
É através dela que alcançarei paz? Talvez um dia.. Nutrindo-a, Compreendendo-a, Aceitando-a. 
Exercitando o perdão das más experiências que ela me trouxe, transmutando-a da conotação negativa para a positiva, onde então algum dia me poderei transcender.
É uma relação amor-ódio, árdua e fustigante mas no fim sempre compensatória.
Sempre compensatória...

Sarah Moustafa

Ar & Terra



Estes são dias difíceis para sonhadores. Verdade. É a realidade imensurável da linha espacio-temporal, em que nos encontramos.
Mas não é a forma como encaramos as vicissitudes que nos distingue?
Como podemos proporcionar uma mudança, se mergulhamos nesse desejo, num profundo mar de negativismo?
Se queremos mudar algo, temos que acreditar. 
É mais do que acreditar, é ter uma fé inabalável de que vai acontecer.
Entender que pode chegar até ti, de formas improváveis, que te leve a pensar o oposto, por caminhos sinuosos, que de mais não passam senão de testes á nossa capacidade de resistência.
Tenacidade tem que andar de mão dada com a Vontade, é o complemento, é o aéreo brilhante junto com a térrea eficácia, o poder de concretizar.
Isto são as ferramentas, de como poderemos batalhar e almejar alcançar uma Vitória.
Querer mas querer a sério.
Nao esperar que o resto do mundo vá saber que sonhos são esses e que os realize por nós!
Repito.
Estes são dias difíceis para sonhadores. Verdade. Mas não foram sempre?






Sarah Moustafa

O que vejo

Olhando para a imensidão do céu eu me interrogo, será possível que tão minoria veja o que eu vejo? Provavelmente apenas olham...
As nuvens leitosas adensam-se e criam as mais curiosas formas, abre me a imaginação ao ponto de necessitar escrever sobre elas.
Os meus olhos são grandes, não apenas concretamente, são grandes porque se encantam com o refulgir da simplicidade, prestam atenção aquilo que tomamos como banal.
Como é bom olhar para algo que conheço há tanto tempo e ver a cada dia que passa mais esplendor.
" A fool" alguns diriam... e talvez seja, por ainda não ter perdido a centelha do brilho da descoberta!





Sarah Moustafa 

Lua Libra


Sedução… porque me envolves desse jeito deleitoso?

 Nos teus braços imaginários eu me conforto, cada olhar, cada sorriso disfarçado move-me por inteiro.
Cativa eu fico e permaneço em ti...
Seduzes tanto quanto mais eu preciso e menos te peço.
Não e fácil fugir do teu poder, fugir dessas doceis artimanhas

Em transe eu permaneço cada vez que subtilmente te aproximas, sempre ténue, disfarçando todo o teu potencial maléfico nas sombras do charme.


Sedutora nata, tormentas deliciosa e fatidicamente qualquer um que por ti se deixe apanhar.

Sarah M

Coração, Corpo e Alma


Há um tempo na vida de cada um de nós que é preciso parar. 
Parar para respirar, parar para entender, ou pelo menos tentar, o que nos rodeia.
Somos muito mais que carne e osso, a matéria é necessária para nos sustentar, é nela que nos apoiamos que procuramos conforto, o ego, esse terrível elemento, aninha se comodista e esta sensação de dormência, de inercia, de nada fazer, de nada mudar.
A matéria... é importante, é vital, mas não pode sobreviver sem os alicerces que nos formam como seres individuais, únicos, insubstituíveis. Alicerces esses enraizados no mais profundo do nosso ser, a nossa alma.
O que acontece regularmente, é não conseguirmos atender a ambas as necessidades ao mesmo tempo, o que não é de todo o caminho, não é suposto fazê lo,pois não se trata de  dividir atenções mas de integrar ambas as partes numa só.
Essa é a fundamental missão atribuída a cada um de nós, assim que respiramos a primeira golfada de ar, assim que ascendemos neste plano, nesta nossa realidade.

É aprendizagem, o propósito do Homem , integrar o abstracto com o concreto.
Coração, Corpo e Alma.

Sarah Moustafa


Genética


Tramada é essa herança que todos herdamos, quer queiramos aceitar ou não, a genética.
Honrosa para uns, desafiante para outros, negar a sua existência e a sua importância na repercussão do nosso desenvolvimento individual, é perigoso e castrador.
Gostemos ou não da influência familiar, ela está lá, então é bom que a aceitemos como parte especial e única do nosso ser.

 Fácil? Decerto que não se apresenta mas necessário, vital… para um maior entendimento da nossa própria individualização, com toda a certeza o é.
Consciencializar é o primeiro passo para a aceitação. 

Do ponto de vista psicológico é fácil entender o porquê de certas atitudes tomadas constantemente pela mesma pessoa, situações muitas vezes pouco benéficas social e ideologicamente, mas ainda assim necessárias para confrontar esse terrível ego.
Não se apresenta de forma complexa o raciocínio inerente a o que, por exemplo, uma ausência de figura paterna, gera na fragilidade encantadora de uma criança.
Provavelmente tornar-se á um homem ou mulher, necessitados de uma base e segurança, particularmente nos relacionamentos íntimos, enorme e uma frustração dolorosa de nunca a encontrar.
Raciocínio simples, tal como havia mencionado.
Falemos então do ponto de vista emocional. Esse sim, é complexo e difere muito de história para história, de caso para caso.
Não podemos, ao contrário de todas as nossas evidentes tentativas falhadas, racionalizar uma emoção.
Se fosse suposto pensarmos numa emoção, não existiria a diferenciação linguística entre ela e a razão, correcto? Então porque insistimos na direcção, que sabemos sempre ser errada?
Porque não nos damos ao direito ou melhor ao PRAZER de sentir?
Será porque inconscientemente, aquele dói-dói da infância, insiste em emergir nas situações que apelam ao nosso coração e ao risco de o colocar em jogo, reagimos defensivamente numa atitude pragmática, porque da única vez que ousamos arriscar em mostra-lo este foi magoado irreversivelmente? Será essa a razão?
A regeneração desse Sol, é possível, e passa justamente por aquilo que o feriu em primeiro lugar.

Sarah Moustafa

Milhares num Só



Que dor é essa? Porque choras? Porque não consegues parar de chorar?

  As lágrimas correm suavemente nessa face delicada de menina-mulher, ensombrada pelas duvidas e pela consciência de ser uma imensidão do tudo e do nada. 
De sentir que és de todos e de ninguém.
De não te conseguires fixar, de não conseguires criar raízes.
Essa não é a tua missão, e eu sei o ardor interior que causa, a vontade de vomitar anos de existência nula e contraria ao teu grande propósito. 
Não há mudança que floresça sem causar um grande sofrimento, um sofrimento indispensável, para que te ergas novamente, mais forte, mais consciente, mais integrada na multiplicidade de “eus” que sabes que por ai habitam, perdidos no limbo, que tu própria criaste.
É altura de os resgatares! É altura de os trazer de volta ao teu centro e permitires iniciar uma busca de auto-conhecimento, sem possibilidade de retrocesso.
Não te preocupes com as vozes lá fora, elas não sabem o que aí está, é lhes impossível compreender, respeita isso. Não te zangues com essa incompreensão, pois um dia também tu não entendeste, pois um dia também tu julgaste quem te “abandonou”.
Escuta-te, não oiças apenas, e chegarás ao teu máximo expoente. Aceita-te nessa diversidade, a complexidade inerente, é alvo de estudos profundos.
Engrandece-te-. Perdoa-te. Descobre-te.

Sarah Moutafa